quarta-feira, 27 de junho de 2012

Oficina: Cartucho para festa junina - Professora Cidinha (Mundo Mágico)



1)  Em primeiro lugar corte o molde de um cone com cartolina. 


                                            2) Cole o cone com cola branca e se achar necessário você poderá grampear também. Não vai aparecer.

                                           3) Dobre o papel de seda ao meio e corte para encapar o cone. (Dependendo do tamanho você poderá utilizar a folha inteira)

 4) Passe cola no canudo e vá encapando-o.

5) Utilize papel de bala para enfeitá-lo. Cole um papel do lado do outro acompanhando.

Cole no cartucho inteiro o papel

Para amarrá-lo é só torcer um pedaço de crepom

Faça flores de crepom para enfeita.











segunda-feira, 18 de junho de 2012

Elegância do Comportamento


Existe uma coisa difícil de ser ensinada e que, talvez por isso, esteja cada vez mais rara: a elegância do comportamento.
É um dom que vai muito além do uso correto dos talheres e que abrange bem mais do que dizer um simples obrigado diante de uma gentileza.
É a elegância que nos acompanha da primeira hora da manhã até a hora de dormir e que se manifesta nas situações mais prosaicas, quando não há festa alguma nem fotógrafos por perto.
É uma elegância desobrigada.
É possível detectá-la nas pessoas que elogiam mais do que criticam. Nas pessoas que escutam mais do que falam. E quando falam, passam longe da fofoca, das pequenas maldades ampliadas no boca a boca.
É possível detectá-la nas pessoas que não usam um tom superior de voz ao se dirigir a frentistas, por exemplo.
Nas pessoas que evitam assuntos constrangedores porque não sentem prazer em humilhar os outros.
É possível detectá-la em pessoas pontuais.
Elegante é quem demonstra interesse por assuntos que desconhece, é quem presenteia fora das datas festivas, é quem cumpre o que promete e, ao receber uma ligação, não recomenda à secretária que pergunte antes quem está falando e só depois manda dizer se está ou não está.
Oferecer flores é sempre elegante.
É elegante não ficar espaçoso demais.
É elegante você fazer algo por alguém, e este alguém jamais saber o que você teve que se arrebentar para o fazer… porém, é elegante reconhecer o esforço, a amizade e as qualidades dos outros.
É elegante não mudar seu estilo apenas para se adaptar ao outro.
É muito elegante não falar de dinheiro em bate-papos informais.
É elegante retribuir carinho e solidariedade.
É elegante o silêncio, diante de uma rejeição…
Sobrenome, jóias e nariz empinado não substituem a elegância do gesto.
Não há livro que ensine alguém a ter uma visão generosa do mundo, a estar nele de uma forma não arrogante.
É elegante a gentileza.
Atitudes gentis falam mais que mil imagens…
Abrir a porta para alguém é muito elegante…
Dar o lugar para alguém sentar… é muito elegante…
Sorrir sempre é muito elegante e faz um bem danado para a alma…
Oferecer ajuda… é muito elegante…
Olhar nos olhos ao conversar é essencialmente elegante…
Pode-se tentar capturar esta delicadeza natural pela observação, mas tentar imitá-la é improdutivo.
A saída é desenvolver em si mesmo a arte de conviver, que independe de status social:
Se os amigos não merecem uma certa cordialidade, os desafetos é que não irão desfrutá-la.
Adaptação de texto extraído do Livro:
EDUCAÇÃO ENFERRUJA POR FALTA DE USO
Henri Toulosse Lautrec (1864-1901) – pintor francês e deficiente físico.


Enfeites para festa junina



Enfeites Festa Junina









Texto: Família

Ao falar sobre família observamos que os estilos de estrutura familiar que encontramos atualmente são tão diversos que se torna impossível falar de todos, pensar em todos, entender todos. E estão aí: são a nossa família, a de nossos amigos, de colegas de trabalho, de vizinhos, etc.
Talvez não caiba mais a discussão sobre o tipo ideal (se é que um dia coube) porque é claro que a família, quando exerce sua função de crescer junta, educar, amadurecer, enfrentar situações e procurar viver bem e em harmonia, está cumprindo seu papel, de acordo com o conceito de família.
Cada uma tem suas crenças, princípios, valores, cultura... E tudo isso, quando exercido com segurança e visando ao bem comum, acaba adequando-se à ideia de que todos os membros da família progridem quando cada um deles evolui, sendo o inverso também verdadeiro.
O que se discute atualmente,  é a necessidade de uma família com um núcleo afetivo e funcional, em que “cada um cuide de si e do outro, compreendendo-o como um ser inteiro e dotado de inteligência e desejos próprios”. Creio que o essencial, o desafio, é a família conseguir manter-se família — independentemente de quem são seus membros ou como está constituída. Isso significa não perder o caráter de respeito mútuo, de possibilidades de crescimento de seus membros e de troca.
Portanto, a família precisa  compreender seu papel de estrutura social básica e primeiro núcleo de construção de um sujeito.

Convite Festa da Família




festa da família: Uma homenagem aos avós.

                         
Queridos Avós

A vocês
que nos cercam de muito carinho,
de muito amor.
Que nos fazem todas as vontades.
Que nos dão tudo sem nada pedir.
Que nos amam mais que a si próprios.
A vocês, meus queridos avós,
que Deus os abençoe cada dia mais.
Que nos dê a bênção
de sempre tê-los conosco,
nos dando muito amor,
nos passando experiências,
nos ouvindo com carinho,
nos "dengando",
nos orientando,
nos aconselhando,
nos suportando
sempre com muita paciência.
                  Vocês são para nós, seus netos,                                           um grande exemplo de experiência,
de trabalho,
de honestidade,
de paciência,
de fé,
de firmeza,
e principalmente de muito amor.
Amamos vocês...

                                                                                  Autora: Sandra Mamede

                                                                                                                Festa da família
                                                                                                                26/05/2012

Festa da Família 2012








Nossa equipe






Projeto: Vivendo em família

 
Período: abril e maio de 2012

Duração: Dois meses.
Justificativa: As famílias de hoje são bem diferentes de antigamente, seja na estrutura familiar,  na  quantidade de filhos  e nos costumes. Através deste projeto será mostrado que cada família tem sua cultura e uma estrutura que devem ser respeitadas. A escola tem como papel educar para a vida, iniciando seu trabalho com a valorização da criança e sua família.
Objetivo Geral:  Perceber que as famílias podem ser compostas de diferentes maneiras e que cada família tem seus costumes distintos.
Objetivos específicos:
·         Ler as imagens e reconhecer as idéias nelas contidas.
·         Conhecer diferentes modos de ser, viver e trabalhar de alguns grupos sociais do presente e do passado.
·         Utilizar a linguagem oral para conversar, brincar, comunicar e expressar desejos, necessidades e opiniões, preferências e sentimentos.
·         Identificar alguns papéis sociais existentes em seu grupo de convívio.
·         Identificar algumas características de sua família.
·         Identificar quantidades utilizando a linguagem oral e escrita.
·         Contar oralmente nas brincadeiras ou em situações nas quais a criança reconhece a necessidade.
·         Identificar noções de grandeza (maior/menor).
·         Expressar idéias através do desenho.
·         Identificar características de diferentes paisagens.
·         Criar pinturas, desenhos, colagem com base em seu próprio repertório.
·         Comparar quantidades de objetos e pessoas (mais/menos)
·         Favorecer o gosto pelas músicas.

·         Desenvolver atitudes de colaboração compartilhando as suas vivências;


Metodologia: As atividades serão desenvolvidas de forma individual e coletiva com a interação do professor e aluno em sala de aula.
Desenvolvimento:
Eixo Linguagem oral e escrita.
·         Entrevista com as famílias (hábitos e costumes).
·         Conversa em roda sobre a entrevista de cada família.
·         Questionar o que cada família gosta de fazer nos finais de semana e depois ilustra.
·         História: Vamos pescar?
·         Texto coletivo
·         Escrita espontânea
·         Pesquisa gravuras de diferentes lugares que as famílias moram.
·         Teatro a casa dos beijinhos.

Eixo Natureza e Sociedade.
·         Comparar através de fotos a diferença entre uma família do passado e outra do presente.
·         Pedir para as crianças levarem uma foto de sua família para mostrar aos colegas.
·         Questionar as crianças sobre os costumes de sua família.
·         Alimentação saudável:
·         Pontos turísticos da cidade que as crianças costumam visitar.

Eixo Música
·         Se eu fosse um peixinho
·         1,2,3 indiozinhos.
·         Caranguejo não é peixe
·         Músicas que serão apresentadas na comemoração ao Dia da Família.
Eixo Artes
·         Desenhar a família.
·         Desenhar o lugar onde você e sua família moram.
·         Painel de trabalhos
·         Porta retrato utilizando palitos de picolé
·         Quebra-cabeça
·         Pintura
·         Fantoches família
·         Releitura do quadro “ O pescador” de Tarsila do Amaral.
Eixo Movimento
·         Pescaria
·         Danças
·         Dobradura
·         Cantigas de roda.
           
Eixo Matemática
·         Registro da quantidade de pessoas que compõem a família e também a parte a quantidade de irmãos.
·         Questionamento e registro se a criança é o filho mais velho, mais novo, do meio ou filho único.
·         Elaboração de gráfico.
·         Contagem
            Recursos utilizados: Histórias: A casa dos beijinhos, fotos da família, fantoche, cd com músicas que se referem a família.
Culminância: Apresentação das músicas com danças na apresentação na festa da FAMÍLIA. Confecção de um álbum com as atividades.
Avaliação: A avaliação será através da observação e registro por parte do professor em sala de aula frente a participação e o desenvolvimento da aprendizagem de cada aluno de forma individual e coletiva durante as atividades propostas.
.

                                                                      

Faixa etária: Educação Infantil